Project Description

    30 Microseconds in Apnea
    30 Microssegundos em Apneia nasce de uma exploração das características da tiorba, estimulando-as com a utilização de meios eletrónicos. A música da tiorba vai ficando imersa ao longo da obra, modificando-se até ao ponto de completa transformação, entrando num estado de apneia.

    João Ferreira, tiorba/alaúde
    Nasceu na Póvoa de Varzim tendo iniciado os estudos em Violino com Filipe Macau e continuado os mesmos com diversos docentes, tendo concluido o 4º grau e posteriormente curso livre com Leonel Fernandes. Frequentou intercâmbios entre a orquestra da escola de música da Póvoa de Varzim e as academia de Liége e Warreme, e diversos seminários no Norte de portugal. Mais tarde frequentou o curso de guitarra clássica completando o 5º grau na classe de Carlos Cunha. Nos anos lectivos 07/08 e 08/09 leccionou nas Actividades Extra Curriculares na variante de música. Realizou o ensino secundário na Escola Secundária Rocha Peixoto na Póvoa de Varzim, na área de ciências. Frequentou o curso de Engenharia Aeronáutica Na universidade da Beira Interior e actualmente está a frequentar a Licenciatura em Música Antiga variante Alaúde na classe do professor Ronaldo Lopes. Com o projecto Sesquialtera, actividade curricular visando repertório renascentista português, inserida no Curso De Música Antiga, realizou diversos concertos e gravações em emblemáticas igrejas, mosteiros e catedrais portuguesas. Paralelamente fundou o projecto progressivo, Oblívia, com experientes músicos, cuja visão incide no combate à desigualdade social.

    Nádia Carvalho, electrónica
    Nascida no ano de 1994, Nádia Carvalho começou os seus estudos musicais em 2005, na Academia de Música de Costa Cabral, na classe de saxofone de Gilberto Bernardes. Mais tarde, viria a ter como professores Guilherme Bogas, André Ramos e Francisco Ferreira, com quem acabou o 8º grau em 2012. Como parte normal do ciclo de estudos musicais, sempre feitos em complementaridade com o 12º ano na área das ciências e tecnologias, Nádia integra a classe de Análise e Técnicas de Composição lecionada por Diana Ferreira onde desde cedo demonstra interesse pela área composicional. Em 2012, termina este ciclo de estudos na classe de Daniel Moreira. De momento, encontra-se a frequentar a licenciatura em composição na Escola de Música, Artes e Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto (ESMAE/IPP) onde estuda com Dimitris Andrikopoulos, entre outros. Como complemento, frequenta também o mestrado integrado em Engenharia Informática e Computação na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Além das aulas, continua a manter uma atividade como saxofonista, sendo membro da Banda Filarmónica da Foz do Douro e da Orquestra da Oficina de Música da FEUP, além de colaborar regularmente com a Orquestra de Sopros da AMCC.

    Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo, Portugal
    A Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo (ESMAE), pertencente ao Instituto Politécnico do Porto, surge, após a extinção da Escola Superior de Música, com o intuito de alargar a formação de nível superior a outras áreas artísticas, para além da música.
    Assim, formada em Dezembro de 1994, a ESMAE abrange, actualmente, três departamentos: o da Música, onde se dá formação nas mais variadas áreas, tais como instrumento, canto, composição, música antiga, jazz, produção e tecnologias da música; o Departamento de Teatro, que é responsável pela formação no ramo da interpretação, Direcção de cena, cenografia, figurinos, luz e som e o Departamento de Artes da Imagem que toca áreas como a Fotografia, o Cinema, o Audiovisual e o Multimédia.

    Como escola de artes performativas, a ESMAE dá particular atenção à necessidade de proporcionar apresentações e espectáculos dos seus alunos, complemento imprescindível para que se possam cumprir os objectivos dos seus cursos. Estes espectáculos têm como objectivo promover um contacto estreito e permanente entre os jovens artistas e o seu futuro público, que terá assim a oportunidade de os conhecer e de aprender a apreciá-los. Neste contexto, existe na ESMAE um Café Concerto e o Teatro Helena Sá Costa, que são palco de grande parte das apresentações da escola. Paralelamente, a ESMAE tem desenvolvido inúmeras parcerias dando assim aos alunos a oportunidade de mostrarem o seu trabalho fora da escola, nomeadamente através de concertos de música de câmara e orquestra, em Serralves, na Quinta da Bonjóia e no Coliseu do Porto, entre outros.

    A ESMAE tem, actualmente, cerca de 830 alunos e 130 docentes.

    Possui mais de 90 acordos de cooperação internacional e tem participado em vários projectos europeus desde 2003; é parceiro activo nas duas maiores associações europeias de instituições de ensino superior artístico (AEC e ELIA) e parceiro em vários projectos ERASMUS como Operamedia, IICS, SACS, La Follia, Phoenix e é promotora de vários festivais nacionais e internacionais como o HARMOS Classical, o HARMOS Plural, IRI e SET.