Project Description

    The Frank Windemuller Quartet
    A música do pianista Frank Windemuller é conhecida pela sua expressividade, autenticidade e inteligência. Tem uma voz única, uma sonoridade muito atraente e ele sabe como estabelecer uma ligação musical profunda com os seus públicos. Com o Frank Windemuller quartet interpreta as suas próprias composições, peças nas quais explora forma e improvisação livre, ritmo e melodia a diferentes níveis. As suas composições, bem como a sua forma de tocar, são uma paisagem caleidoscópica de toda a música a que se sente ligado, seja ela jazz, música clássica, improvisação livre ou música rock.
    O objectivo dos concertos é de experienciar o momento e de criar um fluxo constante e magia.

    Frank Windemuller, piano
    Frank Windemuller nasceu em Venray (Holanda) em 1975. Estudou piano jazz e composição nos conservatórios de Tilburg e Arnhem, com Jeroen van Vliet, Rembrandt Frerichs, Rob van den Broeck e Frans van der Tak (piano clássico).
    Toca principalmente no campo do jazz e da música improvisada mas também em teatro moderno, funk e latin music, poesia stand-up e como baixista em bandas de rock. Tocou com músicos como: Benjamin Herman, Dean (screaming headless torso’s), Nick Bisesi, Hans Dulfer, Tony Liotta, Simon Vinkenoog, Miguel Boelens, Mete Erker, Nynke Laverman, State of Monc, Sid Hille, Wiro Mahieu, Etienne Nillesen, entre outros.
    Para mais informações sobre Frank Windemuller e o seu quarteto, bem como outros dos seus projectos, visitem www.frankwindemuller.blogspot.nl

    David Romanello, saxofone alto
    Com treze anos David Romanello começou a tocar saxofone alto. Depois de ser aluno durante 5 anos da escola de música em ‘s-Hertogenbosch, o seu desejo era estudar no Conservatório de Tilburg. Em 2008, após as provas de seleção, foi admitido neste Conservatório, onde atualmente frequenta o Mestrado em Música. Em 2012 obteve o grau de licenciatura.
    Enquanto prossegue os seus estudos, David desenvolve já uma intensa prática profissional. Em 2008, a lenda do soul Percy Sledge realizou uma digressão com sua banda para a qual David Romanello foi convidado a  juntar-se a eles. Nesta digressão visitaram vários países da Europa como Bélgica, Alemanha, França, Áustria e Mónaco.
    Em 2010, juntou-se ao projeto Escola de Verão Siena, onde estudou com mestres do jazz como Jim Snidero, Bobby Watson, Michael Blake, Avishai Cohen e Omer Avital.
Em 2012, realizou uma digressão com o Foreman Quintet Chelsea na China onde tocou  em cinco cidades diferentes, incluindo Xangai. No mesmo ano, David foi nomeado para o Prémio Talento do Conservatório de Jazz e o Prémio Jacques de Leeuw, onde os alunos com grandes qualidades, se apresentam. Com o seu quarteto venceu um concurso de Jazz em Middelburg.
Hoje em dia, David Romanello explora o seu tempo compondo as suas próprias músicas. Além disso, David é um saxofonista multifacetado e paralelamente com o trabalho que desenvolve com o seu próprio quarteto de jazz também toca com muitas outras bandas.
    As suas atividades podem ser melhor conhecidas através do site www.davidromanello.nl.

    Joost Verbakel, contrabaixo
    Joost Verbakel (1987) é contrabaixista e vive em Roterdão.
    Estudou contrabaixo clássico e de jazz nos conservatórios de Roterdão e de Tilburg. Teve aulas com Ruud van der Meulen, Peter Leerdam, Rob Dirksen, Marc van Rooij e Ludo van der Winkel.
    Pelo seu interesse em vários estilos musicais tocou com muitas orquestras e ensembles em salas de concerto por toda a Holanda. Participou ainda em várias digressões apresentando-se em Praga, no Porto, Viena, São Petersburgo e muitas outras cidades.

    Tom Nieuwenhuijse, bateria
    Tom Nieuwenhuijse nasceu a 27 de Outubro de 1988 em Dordrecht. Desde muito cedo que o som da bateria o inspirava. Com 4 anos recebeu, como prenda dos pais, uma bateria de plástico na qual ele tocou até literalmente se partir. A sua bateria tinha que ir para todo o lado mesmo durante as férias!
    Com 7 anos os pais decidiram inscrevê-lo numa escola de música, Dubbelsteyn em Dordrecht. Teve aulas com Peter Bansberg, um excelente percussionista clássico e um óptimo professor. Com 15 anos começou a ter aulas com Eelco de Boer, um fantástico baterista pop. Já com 13 anos era chamado muitas vezes a tocar, como convidado, com vários grupos especialmente com coros de igreja. Para ele foi um grande desafio de tocar com um coro onde tinha que tocar com dinâmicas. É bastante difícil, especialmente com aquela idade, tocar com dinâmicas especialmente quando as vozes e o piano eram acústicos. Nesta fase aprendeu realmente a tocar em grupo.
    Para além de tocar com coros criou e orientou muitos workshops de bateria/percussão em escolas e foi também o líder de várias bandas de musicais, no liceu. Com 19 anos ingressou no Fontys Conservatorium em Tilburg. No jazz teve aulas com Frans van Grinsven e Hans van Oosterhout. Na percussão clássica foi orientado por Hans Raaijmakers. Para além da bateria toca ainda lâminas, tímpanos e caixa. Frequentou cursos de aperfeiçoamento musical com músicos como: Enrique Firpi, Martijn Vink, Peter Erskine, John Riley, Harmen Fraanje, Tony Malaby, Chris Strik, Marcel Serierse, Rene Creemers entre outros. Em 2013 concluiu o seu bacharelato no Fontys Conservatorium.
    No teatro tocou com: Remko Harms ( L.A the Voices, Op zoek naar Joseph), Ruud van Overdijk (Op zoek naar Zorro), Daniel Cohen (encenador e escritor) e muitos outros. Em agrupamento de jazz apresentou-se com músicos como: Rembrandt Frerichs, Marc van Rooij, Harmen Fraanje, Jeroen van Vliet, Mete Erker, Jonny Boston, Paul Weiling, Ferhan Otay entre outros. Teve ainda o privilégio de conhecer e tocar perante o grande Quincy Jones no Montreux Jazzfestival 2011! Quincy comentou: ‘Ah man, you sound awesome!’
    Actualmente toca em várias bandas entre as quais se destacam: Esther van Hees com a qual venceram vários prémios como o Conservatorium Talent Award 2013, David Romanello quartet com o qual arrecadou o Junior Jazz Award, Frank Windemuller quartet, Jonny Boston, o Jazzsuits e o novo duo Two of a Kind.
    Para além da bateria também toca piano. Por causa do piano Tom compõe activamente para o seu grupo. Foi nomeado, com as suas composições, para o Muziekprijs 2013 no Theater Festival Boulevard em ‘s-Hertogenbosch. Para além dos concertos realizados na Holanda também já se apresentou em Ljubljana (Eslovénia), Antuérpia (Bélgica) e no Porto (Portugal).
    Tom é também professor de bateria e de bandas. Ensina na Key4Music in Son and Best. É óptimo puder inspirar pessoas com o dom de fazer música!


    Fontys Hogeschool voor de Kunsten, Holanda
    Em atualização.